Tuesday, September 29, 2009

Bottom Line 101

Should Polanski go to jail or not?
PS. Dino, who's Polanski?! And what are you talking about anyway?!

Monday, September 28, 2009

PLEASE COME SEE COOKIE: ZE DOS BOIS 10 PM, LISBOA, WED 30 SEPTEMBER , QUARTA 30 DE SETEMBRO


Quarta, 30 de Setembro às 22h00
COOKIE (Work in Progress)
De Gabriel Abrantes em colaboração com Daniel Schmidt e Natxo Checa (PT/US/ES)

Churrasco tem início às 21h


work in progress, ficção, 30 min, DVD, cor (formato original 16mm)

COOKIE
"Com a sensualidade frívola da Brasília de Niemeyer e a sublime majestade das Cataratas do Iguaçu como pano de fundo, dois rapazes americanos fazem um retiro do seu tédio urbano procurando “raparigas nativas puras e limpas”. A inocência deste romance ingénuo está infectada com uma demanda eugénica, infundida em proclamações sobre a beleza da mistura de sangue e de um novo futuro. A sardónica apatia desta juventude falsamente melancólica filtra os seus exotismos fin-de-siècle, o seu desejo de um amor verdadeiro, e os seus enigmas crivados de culpabilidade, na sua procura de pura empatia com a pobreza."

Gabriel Abrantes nasceu em Chapel Hill, Carolina do Norte nos Estados Unidos em 1984. Entre 2002 e 2006 efectuou o BA em Cinema e Artes Plásticas na Cooper Union for the Advancement of Science and Art, em Nova Iorque. Em 2005/2006 estudou na L’Ecole National des Beaux-Arts, em Paris, e em 2007 frequentou o mestrado do Le Fresnoy – Studio National des Arts Contemporains, em Tourcoing, França. Realiza exposições individuais desde 2002: "Shitfest 2006 or Oh my god it was amazing, you should have been there", Houghton Gallery, Nova Iorque; "Buttpocalipse", Galeria 111, Lisboa, 2007; "Visionary Iraq", com Benjamin Crotty, Galeria111, Porto, 2008, "20-30 Experiments in Moral Relativism", Galeria 111, Lisboa; e "Too Many Daddies Mommies and Babies", Lumiar Cité, Escola Maumaus, Lisboa, 2009. Ganhou o Prémio EDP Novos Artistas em 2009. "Visionary Iraq" recebeu o Prémio FNAC Jovens Talentos no Indie Lisboa de 2009

Daniel Schmidt (1984, New Haven, CT – US) vive e trabalha em Brooklyn e Los Angeles. Estudou Cinema e Televisão na Tish School of the Arts, Nova Iorque (2002-2006) assim como na Universidade de Yale (2004). O seu filme For Crying Out Loud, um melodrama de uma hora dividido em três partes, foi exibido em diversos festivais de cinema. Desde então tem participado em vários trabalhos como Teen Opera um episódio piloto com Katie Widloski; Cookie uma curta-metragem com Gabriel Abrantes e Big Hug , uma longa com Widloski e Abrantes. De momento, passa o tempo entre as duas costas americanas produzindo uma variedade de músicos independentes. Está actualmente a trabalhar numa longa-metragem.

Natxo Checa (Barcelona 1968) apresenta em Lisboa, desde 1994, no contexto da ZDB (que co-dirige), ou do Festival Atlântico (que dirigiu), uma parte significativa da produção artística visual emergente portuguesa. A partir de 2001, inicia uma relação mais profunda com alguns artistas, envolvendo a curadoria, a produção e a mostra individual. Em 2009 é o curador da representação oficial Portuguesa na Bienal de Veneza.

+ Info: Entrevista Gabriel Abrantes na Artecapital|Vídeo

Saturday, September 26, 2009

fan of colaborations- amoral and longer: .a/moral: nothing has changed since 1877

RAMALHO ORTIGÃO - EÇA DE QUEIROZ : AS FARPAS
CHRONICA MENSAL DA POLITICA, DAS LETRAS E DOS COSTUMES
NOVA SERIE TOMO VIII: Janeiro a Fevereiro 1877

Ironia, verdadeira liberdade! És tu que me livras da ambição do poder, da escravidão dos partidos, da veneração da rotina, do pedantismo das sciencias, da admiração das grandes personagens, das mystificações da politica, do fanatismo dos reformadores, da superstição d'este grande Universo, e da adoração de mim mesmo.
P.J. PROUDHON


SUMMARIO
A actual situação politica. Conceituosa parabola das moscas e das maselas. O partido revolucionario e o partido conservador. A funcção de um e outro d'estes partidos. Anarchia ou retrocesso. Extincção do partido revolucionario por falta de idéas. Mancommunação conservadora. Philosophica historia de uns almocreves e de um pipo de vinho. A profunda synthese do pipo do Estado. (…)



A situação politica...



Mas, perdão - antes de encetarmos este assumpto, uma pequena historia:

Era uma vez um velho burro. Fora madraço e manhoso. Não conquistára amigos porque os não merecia. Tinham-o lançado á margem no fim da vida. Principiou a viver ao acaso, pelos montes. Um dia achava-se defronte de um vallado, estacado ao sol sobre as suas quatro patas, inerte, immovel, olhando para um cardo secco com os seus grandes olhos redondos e encovados em orbitas esqueleticas, pensando nas vicissitudes da vida e procurando arrancar do seu cerebro, para se consolar, algumas idéas philosophicas.

Passou por elle e deteve-se a contemplal-o um joven asno, no viço das illusões, cheio de amor e de zurros, de alegria e de coices. A vetusta ossada angulosa do ancião parecia furar-lhe a pelle resequída e aspera. Um espesso enxame de moscas cobria-lhe as mataduras do lombo e dava-lhe o aspecto de ter um albardão feito de zumbidos e d'asas sobre um fundo de missangas pretas e palpitantes,--coisa rabujosa á vista.

- Sacode esse mosqueiro, disse-lhe o burro novo. Dar-se-ha o caso de que, á similhança do homem, deixasses tambem tu atrophiar o precioso musculo que ahi tens na face para por meio d'elle abanares a orelha e moveres a pelle?... Sacode-te, bestiaga!
Ao que o lazarento, pausado, retorquiu:
- Não sabes o que zurras, joven temerario! O destino de quem tem maselas é que o mosqueiro o cubra. As moscas que tu vês, e de que o meu cerro é a estalagem com mesa redonda, são moscas fartas, teem a mansidão abundante dos estomagos cheios. Se eu as sacudisse, viriam outras,--as famintas, de ferrões gulosos, que zinem como frechas, pousam como causticos, mordem como furunculos. As que tu vês prestam-me um serviço impagavel:- livram-me das que podem vir; são o meu xairel benigno e suave, o meu arnez, a minha couraça. Quando te chegar a idade de seres pasto de moscas (e breve te soará essa hora porque a mocidade é, como a herva, uma ephemera transição entre o alfobre da meninice e a palha da edade madura); quando te chegar o teu dia, lembra-te, asninho imprudente, d'este conselho amigo de um burro velho, que não aprende linguas, mas que tem a experiencia que vale tanto como o ouro: Nunca sacudas mosca desde que creares masela! Teme-te dos papos vasios das revoadas novas. Papos cheios não só não mordem mas até empacham! Comprehendeste, burrinho, a philosophia da minha inercia?

Revertamos agora, como vinhamos dizendo, á situação politica.

Em toda a sociedade em movimento ha dois unicos partidos: o partido conservador e o partido revolucionario.

A funcção do partido revolucionario, qualquer que seja o seu nome--republicano, socialista, federalista, fourrierista, proudhonista, positivista, etc.--é transformar a ordem estabelecida, modificando as condições da civilisação no sentido de um mais rapido progresso.

Para este fim o partido revolucionario agita constantemente por meio de idéas novas as opiniões preconcebidas.

Como, porém, não está ainda definido o programma geral e harmonico da revolução, como a tendencia progressiva das multidões indisciplinadas se basea no sentimentalismo esteril ou no phantastico ideal methaphysico dos phraseadores eloquentes, succede que todo o esforço revolucionario representa para a sociedade um perigo de desordem, de incoherencia e de anarchia.

A funcção do partido conservador é a manutenção da ordem contra todas as invasões que directa ou indirectamente ameacem a integridade da organisação existente. Em todas as velhas sociedades os governos são por essa rasão, os inimigos natos do progresso. A evolução progressiva da humanidade realisa-se, a despeito d'elles, pela elaboração irresistivel das idéas fora da esphera official, sob a acção das descobertas da sciencia ou das suggestões da arte. O mais que fazem os governos é submetterem-se ás transformações sociaes que a solução de cada novo problema resolvido pela sciencia impõe á existencia dos povos. Os governos, portanto, sempre que uma forte effervescencia intellectual não agita a sociedade e os não abala constantemente na eminencia do seu posto forçando-os a concessões successivas, tendem ao retrocesso.

A civilisação não é na orbita politica senão o justo equilibrio das forças resultantes d'essas duas tendencias: a tendencia retrograda na ordem, a tendencia anarchica na revolução.

Em Portugal o que succede?

A vida intellectual é extremamente debil. A sciencia não tem cultores desinteressados e ardentes, a acção da arte sobre a aspiração dos espiritos é nulla.

O resultado é que os partidos de opposição, não encontrando nos phenomenos da vida nacional a profunda expressão implacavel de novas necessidades a que os governos tenham de amoldar-se, acham-se naturalmente desarmados das grandes rasões que reptam os governos a progredir ou a abdicar.

Em taes condições o partido revolucionario dentro da milicia politica, partido fabricado pelos proprios governos com a corrupção do suffragio,- sendo uma pura convenção, uma fixão constitucional, uma expressão rhetorica, sem raizes na consciencia e na vontade popular,-acabou por desapparecer inteiramente do nosso systema representativo. Ha muitos annos que a revolução não tem quem a represente no parlamento portuguez.

Ha, todavia, uma maioria parlamentar e uma opposição composta de varios grupos dissidentes. Estes grupos são fragmentos dispersos do unico partido existente - o partido conservador - fragmentos cuja gravitação constitue o organismo do poder legislativo.

Estes partidos, todos conservadores, não tendo principios proprios nem idéas fundamentaes que os distingam uns dos outros, sendo absolutamente indifferente para a ordem e para o progresso que governe um d'elles ou que governe qualquer dos outros, conchavaram-se todos e resolveram de commum accordo revesarem-se no podler e governarem alternadamente segundo o lado para que as despesas da rhetorica nos debates ou a força da corrupção na urna fizesse pesar a balança da regia escolha. Tal é o espectaculo recreativo que ha vinte annos nos esta dando a representação nacional.

Imaginem meia duzia de almocreves sequiosos que acham na estrada um pipo de vinho. Como nenhum d'elles tem mais direito que os outros a beber do pipo, combina-se que cada um d'elles ponha a bocca ao espicho e beba em quanto os pontapés dos outros o não contundirem até o ponto de o obrigar a largar as mãos da vasilha para as apertar na parte ferida pelos pontapés applicados pela companhia que espera. É exactamente o que ha muito tempo tem sido feito pelos partidos portuguezes com relação ao usofructo do poder que elles acharam na estrada, perdido.

Chegou finalmente a vez de pôr o pipo á bocca um partido excepcionalmente valoroso de sede e inconfundivel de fibra. Este partido não desemboca o pipo por mais que lhe façam. Protestações escandalisadas, de almocreves, retroam.

- Este partido abusa!

- Isto não vale!

- Isto não é do jogo!

- Elle esvasia o pipo!

- Larga o pipo, pipa!

- Larga o pipo, pimpão!

- Larga o pipo, ladrão!

E incitam-se uns aos outros até á ferocidade:

- Chega-lhe rijo!

- Mais! que lhe dôa bem!

- Rebenta-me esse ôdre!

- Racha-me esse tunel!

- Ah! cão!

O partido, porém, continua sempre a beber, e é insensivel a tudo: á dor, ao insulto, ao chasco, ao improperio, á graça pesada, á insinuação perfida e á alusão venenosa!

Em vista de uma tal pertinacia, que nós mesmos somos forçados a taxar de irregular, os partidos em expectativa do pipo, confederam-se, ferem o pacto da Granja, constituem-se n'um só partido novo, - n'uma só bocca para o pipo. Fazem um programma, redigem um manifesto, vão de terra em terra pedindo ao paiz que intervenha. Precisamente lhes occorreu n'esse momento que o pipo tem dono! que é do paiz o pipo!

Instado a intervir pelos pactuantes da Granja, pelos signatarios do manifesto, pelos auctores do novo programma, pelos oradores dos meetings revolucionarios, pelos jornaes opposicionistas, o paiz responde-lhes:

Lestes a historia do sabio burro lazarento contada pelas Farpas? Eu sou esse burro. Vós sois a revoada das novas moscas pretendendo expulsar a revoada velha. Ora, moscas por moscas - sendo meu destino que ellas sempre me cubram e me comam - prefiro as antigas moscas saciadas ás novas moscas famintas.

Deixae-me em paz. E notae que eu nem sequer vos abano as orelhas, - que é para não bolir comigo!

Pensamento do Dia


Friday, September 25, 2009

Family pics

I got Emily a present for mother's day - some family pics with the photographer from our wedding. Here are some previews - I'll send the grandparents a link so that you can check them out.

El Greco



20 Conselhos para William

1- Um copo de suco de laranja diariamente para aumentar o ferro e repor a vitamina C.

2- Salpicar canela no café (mantém baixo o colesterol e estáveis os níveis de açúcar no sangue).

3- Trocar o pãozinho tradicional pelo pão integral O pão integral tem 4 vezes mais fibra, 3 vezes mais zinco e quase 2 vezes mais ferro que tem o pão branco.

4- Mastigar os vegetais por mais tempo. Isto aumenta a quantidade de químicos anticancerígenos liberados no corpo. Mastigar libera sinigrina. E quanto menos se cozinham os vegetais, melhor efeito preventivo têm.

5- Adotar a regra dos 80%: servir-se menos 20% da comida que costuma comer, evita transtornos gastrintestinais, prolonga a vida e reduz o risco de diabetes e ataques de coração.

6- LARANJA o futuro está na laranja, que reduz em 30% o risco de câncer de pulmão.

7- Fazer refeições coloridas como o arco-íris . Comer DIARIAMENTE, uma variedade de vermelho, laranja, amarelo, verde, roxo e branco em frutas e vegetais, cria uma melhor mistura de antioxidantes, vitaminas e minerais.

8- Comer pizza, macarronada ou qualquer outra coisa com molho de tomate. Mas escolha as pizzas de massa fininha. O Licopeno, um antioxidante dos tomates pode inibir e ainda reverter o crescimento dos tumores; e ademais é melhor absorvido pelo corpo quando os tomates estão em molhos para massas ou para pizza .

9- Limpar sua escova de dentes e trocá-la regularmente . As escovas podem espalhar gripes e resfriados e outros germes. Assim, é recomendado lavá-las com água quente pelo menos quatro vezes à semana (aproveite o banho no chuveiro), sobretudo após doenças, quando devem ser mantidas separadas de outras escovas.

10- Realizar atividades que estimulem a mente e fortaleçam sua memória... Faça alguns testes ou quebra-cabeças, palavras-cruzadas, aprenda um idioma, alguma habilidade nova... Leia um livro e memorize parágrafos; escreva, estude, aprenda. Sua mente agradece e seus amigos também, pois é interessante conversar com alguém que tem assunto.

11- Usar fio dental e não mastigar chicletes . Acreditem ou não, uma pesquisa deu como resultado que as pessoas que mastigam chicletes têm mais possibilidade de sofrer de arteriosclerose, pois tem os vasos sanguíneos mais estreitos, o que pode preceder a um ataque do coração. Usar fio dental pode acrescentar seis anos a sua idade biológica porque remove as bactérias que atacam aos dentes e o corpo.

12- Rir. Uma boa gargalhada é um 'mini-workout', um pequeno exercício físico: 100 a 200 gargalhadas equivalem a 10 minutos de corrida. Baixa o estresse e acorda células naturais de defesa e os anticorpos.

13- Não descascar com antecipação. Os vegetais ou frutas, sempre frescos, devem ser cortados e descascados na hora em que forem consumidos. Isso aumenta os níveis de nutrientes contra o câncer. Sucos de fruta têm que ser tomados assim que são preparados.

14- Ligar para seus parentes/pais de vez em quando. Um estudo da Faculdade de Medicina de Harvard concluiu que 91% das pessoas que não mantém um laço afetivo com seus entes queridos, particularmente com a mãe, desenvolvem alta pressão, alcoolismo ou doenças cardíacas em idade temporã .

15- Desfrutar de uma xícara de chá. O chá comum contém menos níveis de antioxidantes que o chá verde, e beber só uma xícara diária desta infusão diminui o risco de doenças coronárias. Cientistas israelenses também concluíram que beber chá aumenta a sobrevida depois de ataques ao coração.

16- Ter um animal de estimação. As pessoas que não têm animais domésticos sofrem mais de estresse e visitam o médico regularmente, dizem os cientistas da Cambridge University. Os mascotes fazem você sentir se otimista, relaxado e isso baixa a pressão do sangue. Os cães são os melhores, mas até um peixinho dourados pode causar um bom resultado.

17- Colocar tomate ou verdura frescas no sanduíche. Uma porção de tomate por dia baixa o risco de doença coronária em 30%, segundo cientistas da Harvard MedicalSchool; vantagens outras são conseguidas atráves de verduras frescas.

18- Reorganizar a geladeira . As verduras em qualquer lugar de sua geladeira perdem substâncias nutritivas, porque a luz artificial do equipamento destrói os flavonóides (que combatem o câncer) que todo vegetal tem. Por isso, é melhor usar a área reservada a elas, aquela caixa bem embaixo ou guardar em um tupperware escuro e bem fechado.

19- Comer como um passarinho. A semente de girassol e as sementes de gergelim nas saladas e cereais são nutrientes e antioxidantes. E comer nozes entre as refeições reduz o risco de diabetes.

20- E, por último, um mix de pequenas dicas para alongar a vida:

-comer chocolate. Duas barras por semana estendem um ano a vida. O amargo é fonte de ferro, magnésio e potássio.

- pensar positivamente . Pessoas otimistas podem viver até 12 anos mais que os pessimistas, que, além disso, pegam gripes e resfriados mais facilmente, são menos queridos e mais amargos.

- ser sociável. Pessoas com fortes laços sociais ou redes de amigos têm vidas mais saudáveis que as pessoas solitárias ou que só têm contato com a família.

- conhecer a si mesmo . Os verdadeiros crentes e aqueles que priorizam o 'ser' sobre o 'ter' têm 35% de probabilidade de viver mais tempo, e de ter qualidade de vida.

'Escolha a melhor forma de viver e o costume a tornará agradável'! "Crie bons hábitos e torne-se escravo deles, como costumamos ser dos maus hábitos". Seneca.

Sources: Harvard & Cambridge; Picture: Mary Meraglia

Wednesday, September 23, 2009

Normal face for comparison

William not sure he likes solid food

So, to say the man is 'expressive' is an under-statement. Check out the face he made when fed pears yesterday. I did not post the picture of the face he made eating peaches because it's offensive. So much displeasure was shown from his parent's feeding torture, that he even shed a few tears.

Ummm..... Emily is wondering if he'll ever warm up to food :)

Gordon Cheung, The Four Horsemen of the Apocalypse, 2009. Financial Times Stock listings, acrylic gel and spray on canvas.

Sydney turns red in huge dust storm Desert dust storm chokes Sydney Sydney dust storm 'like Mars' Georgia begins cleaning up $250 million in flood damage Fed At Fault for L.A. Fires? - CBS News Video USDA Declares County A Drought Disaster Area Severe drought hits East Africa

The Journey, 2009. YouTube - 'The Four Horsemen of the Apocalypse', Gordon ...

Friday, September 18, 2009

Wednesday, September 16, 2009

I just don't agree with the net bit

Op-Ed Columnist - Rapping Joe's Knuckles - NYTimes.com
Sep 16, 2009

(...) When House Democrats, and a handful of Republicans, reprimanded the congressman on Tuesday evening for refusing to apologize to his colleagues for breaking the rules, it was quite a wonderful way to improve America. It was a rare triumph for civility in a country that seems to have lost all sense of it — from music arenas to tennis courts to political gatherings to hallowed halls — and a ratification of an institution that has relied on strict codes of conduct for two centuries to prevent a breakdown of order.

(...) The black members of Congress were fed up, after a long, hot summer of sulfurous attitudes toward the first black president. Clyburn privately pressed Wilson three times last Thursday to apologize for breaking the rules — Wilson’s own wife asked him who the “nut” was who was hollering at the president — but the Republican was getting chesty with his unlikely new role as king of the rowdies.

(...) Clyburn won the manners round, but Wilson was back Tuesday night tweeting his rude new fans, people who, as the minority leader, John Boehner, put it, are “scared to death that the country that they grew up in is not going to be the country that their kids and grandkids grew up in.”

It’s not. That country is gone. And in terms of biases that have faded, that’s a good thing. But partly due to the Internet, the standards of behavior in this new country are terrible.

Saturday, September 05, 2009

João Vieira Morreu




E com muita tristeza que publico esta notícia. O João marcou a formação de todos os sobrinhos, abriu um espaço de liberalismo numa família muito conservadora. A saudade ficará com os muitos que o adoravam. A obra ficará para todos.

Wednesday, September 02, 2009

Morons, do not multitask behind the wheel

YouTube - Texting While Driving PSA

NYT: In most states, if somebody is texting behind the wheel and causes a crash that injures or kills someone, the penalty can be as light as a fine. Utah is much tougher. After a crash here that killed two scientists — and prompted a dogged investigation by a police officer and local victim’s advocate — Utah passed the nation’s toughest law to crack down on texting behind the wheel. Offenders now face up to 15 years in prison. The new law, which took effect in May, penalizes a texting driver who causes a fatality as harshly as a drunken driver who kills someone. In effect, a crash caused by such a multitasking motorist is no longer considered an “accident” like one caused by a driver who, say, runs into another car because he nodded off at the wheel. Instead, such a crash would now be considered inherently reckless. “It’s a willful act,” said Lyle Hillyard, a Republican state senator and a big supporter of the new measure. “If you choose to drink and drive or if you choose to text and drive, you’re assuming the same risk.” The Utah law represents a concrete new response in an evolving debate among legislators around the country about how to reduce the widespread practice of multitasking behind the wheel — a topic to be discussed at a national conference about the dangers of distracted driving that is being organized by the Transportation Department for this fall. Studies show that talking on a cellphone while driving is as risky as driving with a .08 blood alcohol level — generally the standard for drunken driving — and that the risk of driving while texting is at least twice that dangerous. Research also shows that many people are aware that the behavior is risky, but they assume others are the problem. Treating texting behind the wheel like drunken driving raises complex legal questions. Drunken drivers can be identified using a Breathalyzer. But there is no immediate test for driving while texting; such drivers could deny they were doing so, or claim to have been dialing a phone number. (Many legislators have thus far made a distinction between texting and dialing, though researchers say dialing creates many of the same risks.)

Tuesday, September 01, 2009

ALERT: medical update

Lucas has made his medical evaluation, self-evaluation, of the finger:

"No mom! You cannot take my splint off. It needs just a little bit longer - it's still fixing."

I think he's just figured out the cause and effect - splint on finger = special attention.

El Greco